sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

um momento

Naquele exato segundo ele sentiu que estava vivo, foi um pouco antes de lembrar do que estava fazendo e seguir em frente... até terminar. Foi como uma fagulha de energia, um flash, um leve toque de um dedo indicador em seu ombro direito.
Nesta breve pausa muitas coisas passaram por sua cabeça. Mas se perguntar ele não saberá citar nenhuma, como se nada de anormal tivesse ocorrido. Mas ele estava vivo.
O breve momento não foi marcado por dor, nem prazer... seu corpo funcionou plenamente, como foi projetado para funcionar. Sangue fluindo pelas veias, como sempre... Todos os seus sentidos ativos, tudo positivo e operante. Sua visão mereceu atenção neste momento por deixar as cores a sua volta mais vivas.
Ele sabia que estava vivo, mais do que nunca. era como se um “scanner” de três dimensões vasculhasse todo seu corpo a procura de erros e nada encontrasse, toda sua pele estava com poros abertos, os pelos de seu braço arrepiaram e a gota de suor que escorria por sua testa parou neste momento.
A vida corria por todo seu corpo, em um simples segundo de êxtase. Não havia um motivo especial para tal fato, simplesmente ocorreu. Ele poderia estar no trabalho, andano pela rua ou passivamente recebendo as desinformações da tv... Qualquer lugar do mundo poderia ser o palco daquele segundo especial... Mas foi ali. durante aquele ato que já foi repetido diversas vezes, na terceira tentativa veio o tão inusitado segundo.
Foi apenas um momento.

Um comentário:

Daniel disse...

E disse D2: skate na veia só quem tem sabe como é que é, a sensação e o poder de dar um olie air.
Ou então o slogan daquela marca famosa: Quem anda sabe!
escrevendo muito ou pouco tudo se resume em: soh andando para saber, desliga o computador ou a tv e vai sobreviver um pouco!
skate na veia.
abraço, salve salve.

www.fellavsfella.blogspot.com