sexta-feira, 1 de agosto de 2008

o tempo

Era apenas um rapaz simples e gostava disto. Não precisava de muito para viver, bastava um pouco de dinheiro para ter o luxo de sair nos finais de semana e nem precisava de muito dinheiro para satisfazer suas vontades. Sair com os amigos e terminar a noite em uma boa conversa fazia com que um sorriso surgisse no caminho de volta para casa. Era feliz na medida do possível, o que o levava a ser uma pessoa privilegiada, pois não estava a procura da felicidade utópica que muitos procuram, onde não há espaço para dor, tristeza, desilusão, erros.. estas coisas que ele encarava como parte do todo. E com este sorriso estampado na cara passou alguns anos. Até a cara metade encontrou. Mas o tempo quase retirou o sorriso de seu cotidiano em um certo momento. Com o passar do tempo as necessidades mudaram, o custos aumentaram e ele começou a encarar o mundo de forma diferente, ainda sorria, mas estava tudo mudado. O tempo antes reservado ao sorriso foi sendo tomado por pensamentos “sérios”, o espírito sorridente ainda vivia ali, mas passava a maior parte do tempo escondido. Afinal as cifras precisavam chegar, o mundo tem que girar. No início o labor era prazeroso, o sorriso convivia com ele, mas o tempo mudou tudo, talvez nem tenha sido o tempo, mas tudo mudou. O trabalho antes em função das coisas simples passou a ser em função das cifras, pois elas poderiam, no seu novo modo de ver o mundo, comprar os momentos destinados ao sorriso. Mas um dia olhou para o lado da estrada onde estava viu pessoas sorrindo, lá estavam deitados em um gramado com os sorrisos no rosto. Pensou em converter o momento em cifras e não soube fazer a conta. Passou dias a pensar e enfim o tempo lhe mostrou que no fundo ele ainda era simples. Viu que não precisava de muito para viver e na contra-mão passou a andar contrariando a todos a sua volta. E em uma noite, voltando para casa depois de um papo animado com os amigos olhou pelo espelho do carro e constatou uma só coisa: ele é um homem simples.

Um comentário:

Daniel disse...

symple the best.