sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Liberdade!!!

O vento era como ele esperava! Apesar de alguns insetos batendo na viseira do capacete de tempos em tempos, era exatamente esta sensação de liberdade que ele esperava ter quando mandou tudo a merda. Chefe, amigos de trabalho, namorada... Tudo!
E com as economias para o casamento, ele comprou a moto de seus sonhos. E agora estrada!! liberdade!!! (e insetos... como tem bicho no caminho da liberdade...)
Nunca tinha andado muito de moto, mas tinha sua habilitação e o tal espírito de liberdade. O espírito andava meio adormecido, mas como uma fênix ele resurgiu em uma crise de raiva. Sua vida foi caminhando para um caminho que não o agradava, mas como ela foi mudando em doses homeopáticas, ele foi engolindo.. Até chegar num ponto insuportável.
Agora precisava se concentrar na sensação de liberdade! Aquele sol!! o vento!!! Estava a caminho da praia, não sabia de qual praia, mas estava na direção do mar... Chegando na primeira cidade com praia ele ira pernoitar, talvez ficar uns dias.. Conhecer umas pessoas do sexo oposto.. Liberdade!!!
Já tinha andado mais de 300 km.. Algumas pequenas paradas para água, esticar as pernas e “tirar água do joelho”... E lá estava nosso personagem central! Sem destino a caminho da viagem de sua vida. Neste momento começou a sentir a perna formigando. Uma leve sensação de caimbra. Mas isto não era nada perto da liberdade!! Um pequeno tormento que nem deveria ser considerado! O que são uns insetos e uma “caimbrazinha” de nada se comparados a liberdade (caraca.. mas como tem inseto.. ).
Alguns quilometros depois nem sentia a tal caimbra, aliás, não sentia a perna esquerda. Assim como sua bunda que estava totalmente adormecida. E ele tentava achar uma posição que desse menos dor nas costas, pois esta começava a incomodar. Ele chegou a cogitar a idéia de que não foi uma boa idéia dar o carro e todas suas economias na moto, mas balançou a cabeça negativamente para espantar esta idéia idiota de sua mente.
Estava em meio a liberdade tendo idéias tolas! Isto era o sistema ao qual ele se submeteu tentando acabar com seus novos ideais... Ele estava acostumado a andar de carro o tempo todo. Era um pequeno burguês!! Foi o pensamento que teve antes de falar em voz alta que isto era o passado. Ninguém ouviu seu grito, mas como foi bom gritar aquilo “Isto é o passado!!” repetiu mais uma vez.
Depois de ter dito isto acelerou ainda mais!! Foi quando passou por um radar de velocidade e voltou a falar sozinho, mas desta vez foi apenas uma palavra: “Caralho!!!!” Depois de alguns kilometros e xingamentos ele começou a pensar e chegou a conclusão que estes radares não “pegam” motos. Ficou mais tranquilo. Só não totalmente tranquilo devido as dores nas costas e a perna direita que imitando a esquerda resolveu adormecer também.
Mas.. era livre!! Tinha o vento na cara!! Aliás, com o capacete ele não tinha o vento exatamente na cara.. Resolveu abrir a viseira do capacete para desfrutar desta liberdade, O fez e sorriu... com era bom!! O sol.. o vento.. os insetos.. (!?) “Insetos!??? Caraio!!! Que merda de insetos!!” Foi o que se passou por sua cabeça no momento que dois pequenos besouros passaram por sua garganta, ato que foi copiado por mais alguns insetos. Quase desequilibrou e caiu da moto ao tossir para devolver os insetos para o mundo.Parou no acostamento tossindo e expelindo insetos. 
Do seu lado estava uma placa: “litoral 400 km”. Olhou para o céu, pensou na vida e depois olhou para a estrada, para os 397 km pelos quais tinha percorrido com sua moto dos sonhos.

2 comentários:

_________________________________ disse...

LIberdade!!!!

Essa é a palavra mais bonita que existe!!!

Vanderson Pires disse...

Mano, estou de cara nova na bloglosfera...

http://vandersonpires.blogspot.com/